home       contato      

Novidades

 
Interpol lança campanha global contra a pesca ilegal

Até um quinto da pesca no mundo é ilegal, estima organização ambiental.

Interpol lança campanha global contra a pesca ilegal 26/02/2013 Da Reuters

Até um quinto da pesca no mundo é ilegal, estima organização ambiental.
Prática ameaça espécies de peixes de extinção.

A Interpol lançou nesta terça-feira (26) uma operação contra a pesca ilegal, um negócio que arrecada até US$ 23 bilhões (R$ 45,6 bilhões) por ano, na estimativa da agência. Ainda de acordo com a polícia internacional, o crime geralmente é cometido por pescadores que atuam longe de seus países de origem, o que aumenta a necessidade da colaboração entre os países.

"Estoques mundiais de peixe estão diminuindo rapidamente, e muitas espécies valiosas já estão próximas da extinção", afirmou a Interpol em nota divulgada nesta terça. "A última década viu um aumento nas redes criminosas organizadas e transnacionais envolvidas em crimes de pesca", completou o texto.

Navio da guarda costeira do Japão persegue barco de pesca ilegal na costa do país, em imagem do início de fevereiro (Foto: Reuters/11th Regional Coast Guard Headquarters-Japan Coast Guard/Divulgação)

A organização ambiental The Pew Charitable Trusts calcula que até um quinto de toda a pesca feita no mundo seja ilegal. Além disso, ela aponta que as novas tecnologias aumentam a capacidade dos barcos ilegais, tanto para permanecer mais tempo no mar quanto para pescar mais fundo. Outros pontos ressaltados pelos ecologistas são a poluição dos oceanos e o aquecimento global, que também ameaçam as populações de peixes.

Postos de venda
Para David Higgins, chefe do Programa de Crimes Ambientais da Interpol, a operação que vai do Pacífico Sul até o Oceano Ártico precisa ter atenção não só com quem pesca, mas também com quem revende o produto ilegal. "O supermercado consegue comprovar de onde vem o peixe?", questionou.

Um estudo divulgado na semana passada pelo grupo de conservação marinha Oceania feito com mais de 1,2 mil produtos em 700 pontos de venda nos EUA mostrou que a identificação dos peixes nos rótulos estava errada em um terço dos casos.

Para a Interpol, a ação pode, inclusive, prevenir que aconteça com peixes e frutos do mar um escândalo de falsificação semelhante ao da carne de cavalo, recentemente encontrada em produtos industrializados que diziam conter carne bovina na Europa.









NÓ DE MARINHEIRO
clique para fazer o download


CÓDIGO INTERNACIONAL
BANDEIRAS E FLÂMULAS